expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sábado, 11 de janeiro de 2020

Pegou mal, muito mal... "Piada homofóbica" de dirigente ofende história do próprio Corinthians



O volante colombiano Victor Cantillo foi apresentado nesta sexta-feira 10 como reforço do Corinthians. O jogador, que se acostumou a vestir a camisa 24 no Junior Barranquilla, recebeu a camisa 8, com a qual seu compatriota Freddy Rincón fez história no clube.

Perguntado sobre o tema, Cantillo disse que foi avisado de que “não poderia usar o número 24. No momento em que posou para fotos com o jogador, o diretor Duílio Monteiro Alves fez um comentário infeliz e que envergonha a história do próprio clube.

“Camisa 24 aqui não”, afirmou o dirigente, em piada flagrada pelas câmeras de transmissão da coletiva, inclusive arrancando alguns risos de presentes. Ele fazia referência à infantil ligação entre o número, que no jogo do bicho é representado pelo veado, e a homossexualidade. Além de homofóbica e anacrônica, a “piada” de Duílio ignora a história de um dos grandes atletas da história do clube, o goleiro Cássio.

Em sua primeira e mais gloriosa temporada no clube, Cássio vestiu justamente a camisa 24 – ele acabou adotando o número 12 em seguida, com a qual permanece até hoje. Foi com ela que fez defesas histórias na campanha do título inédito da Copa Libertadores.

Além disso, o Corinthians vem sendo elogiado constantemente por campanhas contra homofobia. O pensamento retrógrado de Duílio, que aliás é filho de um dos líderes da Democracia Corintiana na década de 80, vai totalmente na contramão.

Nenhum comentário: