expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Renato admite vergonha com a goleada, mas diz: "O Grêmio foi para as cordas, não para a lona"



A remobilização do Grêmio após a goleada sofrida para o Flamengo na quarta-feira e a consequente eliminação da Libertadores passa pela capacidade de Renato Gaúcho. O técnico mais uma vez assumiu a responsabilidade e protegeu os jogadores em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, algo pouco usual. Segundo ele, o grupo está envergonhado e foi às cordas, mas "não para a lona".

O discurso do treinador, menos de 48 horas depois da derrota por 5 a 0, busca o apoio do torcedor para o crescimento no Campeonato Brasileiro, última competição que restou no ano. Na sétima colocação, com 41 pontos, a equipe está a apenas um do G-6 e a cinco do G-4. Ou seja, ao menos a oportunidade de voltar à Libertadores em 2020 está bem viva.

– Estamos envergonhados. Estou triste, meu grupo está triste. Acho que quem é gremista está. Acima de tudo, é continuar o trabalho. O Grêmio é muito grande. Nós fomos nocauteados na última quarta-feira, mas isso faz parte do futebol. Quantos times o Grêmio nocauteou? O Grêmio foi para as cordas, não para a lona. O Grêmio não é covarde – ressaltou Renato Gaúcho.

Nenhum comentário: