expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 25 de outubro de 2019

Porto do Mangue é a primeira cidade litorânea do RN a registrar caso de manchas de óleo



De acordo com o professor Flávio Lima, coordenador do Projeto Cetáceos Costa Branca, o animal foi encontrado por um pescador no Rio das Conchas, no município de Porto do Mangue. O homem resgatou o animal e levou até a cidade, onde entrou em contato com a equipe de especialistas.

-- “A ave está com óleo principalmente nas asas, com dificuldade de voar, por isso ele conseguiu capturá-la facilmente“, disse.

Esse é o primeiro caso registrado no RN, no seu litoral, de uma ave atingida por manchas de petróleo cru, de origem ainda desconhecida, que chega à costa do Nordeste desde o final de agosto.

O animal da espécie bobo-pequeno – uma ave marinha – teve cerca de 25% do corpo coberto pela substância, segundo o Projeto Cetáceos Costa Branca, que é o responsável por receber a fauna afetada pelo óleo no estado.

Ainda segundo o professor, o bobo-pequeno (que tem o nome científico Puffinus puffinus) é uma ave marinha que se alimenta de pequenos peixes e crustáceos. A suspeita é de que o animal tenha sido atingido pelo óleo no mar, enquanto pescava.

A ave foi levada para o Centro de Descontaminação de Fauna Oleada, na UERN em Mossoró, onde inicialmente foi atendida por médicos-veterinários, para estabilização e passa por limpeza nesta sexta-feira (25).

Outros animais

Em todo o litoral nordestino, há registros de pelo menos 41 animais encontrados oleados, mortos ou vivos, de acordo com dados do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Os casos são registrados desde o início de setembro.

As tartarugas marinhas foram os animais mais afetados até agora. Ao todo, 31. Mas o Ibama também conta com oito registros de aves oleadas – sendo cinco mortas e três vivas – em Pernambuco, Alagoas e Bahia – e um peixe. - O Portomanguense. 

Nenhum comentário: